MESTRADO PROFISSIONAL EM TERAPIA INTENSIVA (MPTI) – F.A.Q.

F.A.Q. – Perguntas e Respostas Frequentes

1. O que é o MPTI-IBRATI?
O MPTI – Mestrado Profissional em Terapia Intensiva fornecido pelo IBRATI, Instituto Brasileiro de Terapia Intensiva desde 2004.

2. Qual objetivo do MPTI-IBRATI?
O MPTI-IBRATI tem como objetivo a formação de professores intensivistas. Tem foco profissionalizante com pesquisa nas Unidades Emergenciais e Intensivas em serviço.

3. Quem recomenda o MPTI-IBRATI?
O MPTI-IBRATI é recomendado pela Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva. É profissionalizante não focando modelo acadêmico clássico.

4. Quais os pré-requisitos para iniciar o MPTI-IBRATI?
Para ser candidato a uma vaga no MPTI-IBRATI, basta ser graduado em ciências da saúde e que tenha atuação na área emergencial, UTI, Home Care de alta complexidade, APH ou PS (Pronto Socorro). É necessário o preenchimento de ficha de inscrição que está disponível em nosso site (INSCRIÇÃO MESTRADO UTI) – Situações especiais serão avaliadas pela comissão de ensino.

5. Como funciona o MPTI-IBRATI?
É realizado em 585 horas. O conteúdo teórico é feito aos sábados e domingos a cada 2 meses e meio, perfazendo 7 módulos presenciais.

6. Em quais cidades posso fazer o MPTI-IBRATI?
O MPTI-IBRATI é realizado nas seguintes cidades do país:
Brasília-DF, João Pessoa-PB, Juazeiro do Norte-CE, Manaus-AM, Porto Velho-RO, Recife-PE, Rio de Janeiro-RJ, São Paulo-SP, Teresina-PI.

7. Qual o investimento do MPTI-IBRATI?
O valor mensal do MPTI-IBRATI é de R$ 600,00 mensais em 18 parcelas.

8. O MPTI-IBRATI é recomendado pela CAPES ou reconhecido pelo MEC?
Não. Porém temos mais de 3 mil alunos formados inseridos no mercado de trabalho.

9. A certificação do MPTI-IBRATI será aceita em concursos ou Universidades?
Após o término e, devidamente certificado, o mestrando poderá apresentar em concursos e universidades, PORÉM CABERÁ a cada instituição a aceitação da respectiva certificação podendo haver parecer positivo ou negativo por parte das mesmas. Algumas universidades e concursos só aceitam com credenciamento na CAPES. Instituições públicas ou privadas QUALIFICAM candidatos mediante critérios internos e curriculares, portanto cabe a cada organização estabelecer critérios de aceitação ou não, independente de credenciamentos (recomendações).